FUNDAGRO
Fundação de Apoio ao Desenvolvimento
Rural Sustentável do Estado de Santa Catarina
www.fundagro.org.br



PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

DEZEMBRO, JANEIRO E FEVEREIRO/2014-2015

02/12/2014

Comportamento das condições oceânicas

No Oceano Pacífico equatorial, os modelos climáticos indicam, aproximadamente, 60% de chance de que um evento de El Niño se configure neste verão de 2014/2015. Caso um evento de El Niño venha realmente a se configurar, continua a expectativa de um evento de fraca intensidade, sem grandes impactos na variabilidade das chuvas e temperaturas no sul do Brasil, e com duração até o outono de 2015.

Sistemas atmosféricos previstas para o trimestre DEZ/2014 e JAN/FEV/2015.        

Dezembro: Na primeira quinzena ocorre a transição entre os sistemas de primavera e de verão, sendo que na primeira atuam as frentes frias e na segunda inicia o processo convectivo que dá origem as chuvas de verão.

 Nesta primeira quinzena de dezembro, as chuvas deverão ser causadas pela atuação de duas frentes frias e, na segunda quinzena, as chuvas, convectivas, devem ocorrer de maneira mais isolada e, de modo geral, entre o final da tarde e início da noite. 

Janeiro e fevereiro: Nestes meses as chuvas serão convectivas, com ocorrência entre o final da tarde e início da noite. Embora ocorra calor, as chuvas previstas devem ser irregulares no tempo e no espaço, ou seja, não choverá todos os dias no mesmo município. Alguns eventos de chuvas mais fortes devem ocorrer associados à formação de cavados e baixas pressões à superfície e principalmente a passagem de frentes frias pelo oceano.

Salienta-se que em anos de verão de El Niño de fraca intensidade, ocorridos nas décadas de 2000 e 2010, as irregularidades das chuvas foram marcantes na área de atuação da COPREL e, neste verão, não se descarta a ocorrência de vários dias sem chuva, umidade baixa e temperaturas elevadas.

Baseado nesta condição e nos modelos de previsão climática, a previsão é que as chuvas para o trimestre DEZ/2014 e JAN/FEV/2015, na área de atuação da COPREL, fiquem dentro a ligeiramente abaixo das médias climatológicas expressas na Tabela 1.

Tabela 1: Normais Climatológicas para Área de atuação da COPREL, no trimestre Dezembro, Janeiro e Fevereiro.

Mês

Precipitação (mm)

Dez

150 a 160

Jan

140 a 150

Fev

150 a 160

 

Temperatura

            A expectativa é de um verão mais quente do que o normal para área de atuação da COPREL, com as temperaturas médias acima das médias climatológicas expressas na Tabela 2.

Salienta-se que em episódios de forte calor pode ocorrer quebra de Record, tanto de temperaturas mínimas, quantas de máximas.

Tabela 2: Normais Climatológicas para Área de atuação da COPREL, no trimestre Dezembro, Janeiro e Fevereiro.

Mês

Temperatura mínima (°C)

Temperatura máxima (°C)

Dez

16 a 19

28 a 31

Jan

17 a 20

28 a 31

Fev

17 a 20

28 a 31


Setor de Meteorologia - FUNDAGRO
FUNDAGRO

Hora da atualização: 09:54 hs 02/12/2014


Este documento foi produzido pelo setor de Meteorologia / FUNDAGRO.