FUNDAGRO
Fundação de Apoio ao Desenvolvimento
Rural Sustentável do Estado de Santa Catarina
www.fundagro.org.br



PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

MARÇO, ABRIL E MAIO - 2015

09/03/2015

Comportamento das condições oceânicas

Observações nos últimos meses no Oceano Pacífico equatorial mostram que a temperatura superficial do oceano ao longo da região se mantém 0,5ºC acima da normalidade. Os modelos climáticos continuam indicando para os próximos meses a manutenção da anômala positiva de temperatura nessa águas e, portanto, a manutenção de um fenômeno El Niño, porém, de fraca intensidade, pelo menos até o mês de maio. Devido à intensidade do fenômeno e à influência de outras fenômenos atmosféricos na variabilidade no clima no sul do Brasil, a ocorrência deste evento de El Niño não deve apresentar grande consequências para o clima do RS nos próximos meses.

Outra informação pertinente ao comportamento dos oceanos é a manutenção de águas superficiais mais quentes do que a normalidade no Oceano Atlântico sul, próximas às costas sul do Brasil, Uruguai e norte da Argentina. A manutenção de anomalias positivas dessas águas favorece a saída mais rápida das frentes frias para o oceano, diminuindo as chuvas causadas por esses sistemas atmosféricos, mas favorece a entrada de umidade vinda do oceano, em direção ao continente, quando ocorre um fluxo de ventos de quadrante leste na região sul.

Sistemas atmosféricos

Em 2015, a mudança de estação de verão para outono ocorre no dia 20 de março, às 19 h e 45 min no hemisfério sul. Por isso, o mês de março é caracterizado por mudanças significativas no comportamento do tempo entre a primeira e segunda quinzena na região sul do Brasil. A primeira quinzena apresenta chuva ainda relacionada ao processo de convecção (isto é, ao aquecimento diurno da superfície) e da formação e atuação de cavados (áreas alongadas de baixa pressão), que favorecem a ocorrência de chuvas localizadas (mal distribuídas espacialmente) quase sempre acompanhadas de atividade elétrica, ocorrendo preferencialmente entre o final da tarde e a noite.

Na segunda quinzena de março as massas de ar frio se intensificam ainda mais na Região Sul do Brasil, favorecendo períodos mais longos de tempo estável, resultando em decréscimo do volume de chuva. Também é nesta época que as frentes frias começam a avançar com maior frequência e intensidade e os sistemas de baixa pressão na região do Chaco (norte da Argentina) se formam com maior frequência, tornando a chuva melhor distribuída na região do Alto Jacuí.

Nos meses de abril e maio a precipitação é determinada principalmente pela passagem de sistemas frontais e pela formação de ciclones e vórtices ciclônicos em altos níveis da atmosfera, o que aumentam as condições para eventos mais adversos de tempo, como chuva forte associada a temporais com bastante atividade elétrica e rajadas intensas de vento. Nestes meses também é comum a ocorrência de bloqueios atmosféricos. Nestas ocasiões a configuração atmosférica permanece praticamente inalterada por um período de no mínimo 5 a 7 dias, mantendo a condição de chuva ou de tempo seco na região. Quando esse período de veranico ocorre, as temperaturas pode chegar a valores bem acima do esperado para a época do ano devido a sequência de dias seco e com poucas nuvens.

 

Precipitação

Comparados com os meses de verão, os volumes pluviométricos diminuem nos meses de março e abril e voltam a se elevar em maio, quando oscilam entre 140 e 150 mm (Tabela1).

 

Tabela 1: Normais Climatológicas de precipitação para área de atuação da COPREL, no trimestre Março, Abril e Maio.

 

Mês

Precipitação (mm)

Mar

130 a 140

Abr

120 a 130

Mai

140 a 150

 

 

 

 

Para o próximo trimestre, março, abril e maio de 2015, a previsão indica precipitação ligeiramente acima da normalidade para o oeste do RS, ou seja, da média climatológica, na área de atuação da COPREL. Apesar de o prognóstico de chuvas atual indicar que o mês de março deve terminar com acumulado de chuvas próximo da média climatológica em março, os modelos climáticos indicam um trimestre com acumulado de precipitação ligeiramente acima da média climatológica, o que mostra uma tendência de mais chuvas nos meses de abril e maio,  o que pode estar relacionado com o comportamento dos oceanos nos próximos meses.

 

Temperatura

Climatologicamente, a partir da segunda quinzena de março, ocorre o declínio das temperaturas em virtude da incursão de massas de ar frio mais intensas no RS. É nesta época que ocorrem os primeiros registros de geadas no Alto Jacuí e que nevoeiros se tornam mais frequentes, restringindo a visibilidade, especialmente nas primeiras horas do dia.

A previsão é que as temperaturas fiquem acima da média climatológica no próximo trimestre, com madrugadas e manhãs mais frias, ou seja, temperaturas mínimas mais elevadas e temperaturas máximas se mantendo próximas da média climatológica (Tabela 2).

 

Tabela 2: Normais Climatológicas para área de atuação da COPREL, no trimestre Março, Abril e Maio.

Mês

Temperatura mínima (°C)

Temperatura máxima (°C)

Mar

16 a 19°C

26 a 29°C

Abr

13 a 16°C

23 a 26°C

Mai

10 a 13°C

20 a 23°C

 


Setor de Meteorologia - FUNDAGRO
FUNDAGRO

Hora da atualização: 09:16 hs 09/03/2015


Este documento foi produzido pelo setor de Meteorologia / FUNDAGRO.